Como prever seu tempo de prova?
Francisco Ottoni
08 de janeiro de 2018

Por: Francisco Ottoni


Quem nunca se fez essa pergunta quando olha para a distância e altimetria de uma prova que vai disputar pela primeira vez? E sem saber durante quanto tempo vamos correr, como vamos planejar nosso treinamento e nossa prova?

Em corridas planas no asfalto não temos muita dificuldade de prever nosso tempo pois as condições que encontraremos serão semelhantes a outras provas e ao local onde treinamos.

Já nas trilhas o papo é outro. Não é só a altimetria que varia de uma prova para outra. O clima, o terreno, a dificuldade técnica das trilhas, tudo isso faz cada corrida única. Até o mesmo evento pode mudar radicalmente de um ano para outro devido a condições climáticas ou geológicas (sim, geológicas. Na Vulcano Ultra Trail, no Chile, por exemplo, uma erupção vulcânica cobriu grande parte da trilha de cinzas o que alterou as características da prova).

Nossa meta é passar alguns recursos que podemos usar para prever com uma boa aproximação quanto tempo vamos passar naquela prova inédita e misteriosa.

Importante lembrar que vamos fazer um exercício de adivinhação e que não tem uma precisão científica pois como expomos acima, a prova que você vai correr pode ser completamente diferente do que foi nos anos anteriores (uma forma bonita e longa de falar chute).

1º dica: Comparar seu tempo com de outros corredores que você conhece e que já correram a prova alvo

O mundo trail não é tão grande assim, não é mesmo? Provavelmente você conhece alguém, pelo menos de vista, que esteve na mesma prova que você está planejando correr. Nesse caso basta buscar o tempo dele em alguma prova que vocês correram juntos e o tempo que ele gastou na sua prova alvo. Caso ele nunca correu uma prova que você conhece, basta analisar se vocês são corredores do mesmo nível ou não. Nesse caso há uma grande chance de você levar um tempo equivalente a diferença atlética de vocês, para mais ou para menos, conforme o caso. Sempre lembrando que, além das condições climáticas e técnicas da trilha, as condições físicas do atleta também variam. Por isso, quanto mais atletas você utilizar como referência, melhor.

Exemplo: Em 2017 fui fazer pela primeira vez a Ultra Trail Cape Town. Eu sabia de dois amigos que haviam corrido a mesma prova dois anos antes. Eu também sabia que éramos corredores equivalentes (eles chegaram em minha frente em algumas provas e eu cheguei na frente deles em outras) e que no ano que eles correram as condições climáticas estavam bem difíceis devida a uma forte chuva, por isso imaginei que iria um pouco mais rápido que eles o caso as condições meteorológicas fossem mais favoráveis.

Dito e feito. Como peguei um clima excelente no dia do evento, minha performance foi um pouco melhor que a deles. Percebam a semelhança nos tempos:

UTCT 2015 UTCT 2017
Vitor Abrahao Rage          13:40:50 Francisco Porto      13:26:22
Leonardo Leite                   13:47:47  

E se não tiver nenhum atleta conhecido para usar como referência?

Não tem drama. Tem mais uma dica:

2º dica: Utilizar o tempo do campeão como referência.

Essa também é simples. Basta dividir seu tempo de conclusão pelo tempo do primeiro colocado e aplicar a mesma equivalência no tempo dos campeões anteriores da prova alvo.

O mais importante é comparar eventos do mesmo nível técnico e usar várias corridas para criar uma média.

Inclua somente aquelas provas em que você teve um desempenho satisfatório e evite usar provas em que você estava mal treinado, lesionado ou teve problemas que impactaram de forma significativa seu tempo final.

Vou usar como exemplo as três provas que fiz no Ultra Trail World Tour, em condições físicas semelhantes, para prever minha próxima corrida neste mesmo circuito, a Ultra Trail Mt Fuji.

Provas Anteriores do circuito UTWT

CCC UTMB 2016

TARAWERA 2017

UTCT 2017

MÉDIA

Tempo do Campeão

12:10

07:23

09:51

 

Meu Tempo

16:54

10:58

13:26

 

Índice de Pangaré

0,72

0,67

0,73

0,71

 

Prova Alvo

UTMF 2014

UTMF 2015

Tempo do Campeão

19:09

20:40

Índice de Pangaré Médio

0,71

0,71

Previsão Tempo Conclusão

27:01:02

29:09:25

O Ultra Trail Mt Fuji é conhecido pelo clima imprevisível que pode dificultar muito o desempenho dos atletas. Foi o que aconteceu em 2015 quando o campeão gastou mais de 1h30 que o primeiro lugar do ano anterior. Colocando uma média, posso iniciar meu planejamento com um tempo de 28 hrs para finalizar a prova (dia 28 de abril eu falo para vocês se eu acertei). Claro que enfrentarei várias situações imprevistas e vai depender de mim resolve-las e seguir adiante, mas essa previsão que vão acontecer imprevistos sempre é levada em consideração em provas ultralongas.


Mas eu nunca fiz nenhuma prova do mesmo nível técnico da minha próxima prova!

Calma, lá vem a 3º dica: use como parâmetro o grupo de chegada que você faz parte.

Vamos considera uma prova com 100 concluintes:

Linha%20do%20tempo.jpg

Onde você costuma chegar? Entre os primeiros? Na primeira ou segunda Metade? Próximo ao tempo de corte?

Se é nesse grupo que você termina sua prova com frequência, há uma grande possibilidade que você repita essa posição relativa na sua prova misteriosa. Então procure os resultados dos anos anteriores e veja qual o tempo de conclusão dos atletas que chegam no mesmo grupo que você.


Mas é o primeiro ano da prova! Não tem resultados de anos anteriores!!!!

Calma, Pequeno Gafanhoto, ainda temos algumas dicas para projetar seu tempo, mas nesse caso vá preparado para correr um pouco mais.

- Se você já correu alguma prova com distância e altimetria equivalentes, use-a como referência;

- Se é uma distância que nunca correu antes e com altimetria muito extrema, procure no site da prova qual o tempo esperado para o campeão e o tempo de corte, faça uma autocrítica e defina se você vai para ganhar, chegar na meiúca ou lutar para não ser cortado.  Utilize provas anteriores como referência de seus objetivos e vai na fé.


Para finalizar, gostaria de relembrar que essas são dicas para projetar um tempo de conclusão com base em seu rendimento passado e em provas que aconteceram em situações que podem não se repetir no dia da sua corrida, então não considere essa previsão como Ciência Aeroespacial e vá preparado para aguentar uma prova mais longa.