Desistir não é para sempre
Karen Kornilovicz
14 de março de 2018

Virou praticamente um mantra entre os corredores de asfalto e de montanha a frase: A dor é temporária. Desistir dura para sempre de autoria de Armstrong. Mas é para sempre mesmo? Rememorando alguns episódios resolvi refletir sobre essa máxima. O incentivo final veio na forma de um post, no fim de semana, do meu amigo Valmir Lana, comentando sobre a enxurrada de mensagens que recebeu após decidir abandonar uma prova.

Durante um treino em Extrema que deveria ser o treino para me dar a confiança necessária para uma longa prova de endurance, me senti obrigada a largar a empreitada faltando 9 Km para o final. Leia-se: desistir

Estava exausta, com muitas dores nas pernas, o treino não estava fluindo e nas subidas meu pace era de lentíssimos 2700. Cheguei ao posto de apoio no Km 16 e falei que não ia continuar. Entrei no carro e fui acompamando os atletas me sentindo uma imensa derrotada.

Esse treino foi péssimo para a minha autoestima. Eu ia viajar na semana seguinte para passar o Natal e o Ano Novo com a minha família e resolvi largar mão total dos treinos e não pensar em corrida pelos próximos 20 dias. Não pensei em corrida, mas fiquei remoendo a minha frustração em ter desistido no treino. Resolvi utilizar aquela raiva toda que me consumia como combustível. Valeu a pena. Voltei renovada, cumpri bem o novo ciclo e completei a minha prova-alvo.

Há cerca de dois anos, um querido amigo, no posto de apoio no Km 60 da duríssima La Missión, disputada na Argentina, resolveu abandonar a prova. Sua cabeça não estava suficientemente boa para continar a jornada. Fiquei chocada em um primeiro momento. Como assim ele desistiu? E o investimento nos meses de intensos treinos, na viagem?, pensei. Mas logo em seguida um sentimento de admiração profunda tomou conta de mim: é preciso muita maturidade e muita coragem para desistir. Ainda mais durante uma prova.

Em um chat ele comentou que um dia ele voltaria lá para conquistar aquela montanha. Ganhou meu respeito e minha admiração. No final das contas, desistir não é para sempre. Lance está errado.