Muita calma nessa hora
Karen Kornilovicz
23 de agosto de 2017

Lesão. Pavor de 100 entre 100 atletas. Para quem está acostumado com uma rotina espartana de treinos – corrida, musculação, funcionais – ter uma lesão que impossibilite a realização de qualquer atividade física é um pesadelo.

E esse é o pesadelo vivo diuturnamente há exatos 52 dias. Começou com uma pontada na tíbia. Uma dor forte, que nunca havia sentido. Respira fundo, coloca gelo e joga no buraco-negro. No treino seguinte, ela vem forte outra vez. Melhor dar uma olhada. Ida ao médico. Ressonância. Diagnóstico: periostite na tíbia, uma inflamação na membrana que reveste o osso.

Bom, doutor, posso então fazer bike, né? Nem pensar. Hum...musculação, então? Nop. Caminhada leve, 30 minutos no plano. Ficou louca? Descanso e fisioterapia. Volta quando terminar as dez sessões.

DESCANSO? Que palavra é essa? O que significa? Como assim não andar, não correr, não pedalar? Na primeira sessão com o fisioterapeuta do esporte mando de cara: quando posso voltar a correr? Não sei, vamos ver como o quadro evolui. Se quiser pode andar 30 minutos na esteira, velocidade de 6 km/hora no máximo. Bom, não é o ideal, mas melhor do que nada.

Andar na esteira a 6 km/hora é quase como estar parado. Odeio esteira. Odeio qualquer coisa indoor. Mas respiro fundo e vou. Na semana seguinte, sou liberada para fazer 30 minutos de bike com peso leve. Nada de impacto!

A inatividade para um hamster ligado no 220 como eu é uma tortura. Essa lesão me abalou, confesso. Mas se há um aprendizado que extraí nesses 52 dias é tirar o melhor proveito possível do que estou liberada para fazer. Vou pedalar 30 minutos? Ótimo. Então vou caprichar. Caminhar na esteira? Atenção na postura, movimentação dos braços, respiração. É o famoso transformar o limão azedo em limonada. Não é fácil, mas é o que temos para hoje e manter a moral elevada e o pensamento positivo, dizem, ajuda na recuperação.

Bola para a frente e força na peruca, mas se alguém puder me dar um beliscão e me acordar desse pesadelo terá minha eterna gratidão.