O que foi a Lavaredo para mim
Raïssa Zortea
26 de junho de 2017

Por Raïssa Zortea


Decidi realizar essa prova porque é a terra de onde vieram meus bisavós e de onde vem meu sobrenome. Acabei me inscrevendo imaginando que não seria sorteada para a CCC (UTMB), mas no fim consegui inscrição para ambas.

Eu estava decidida a desistir de Lavaredo pela sobrecarga, mas na Transgrancanaria eu conheci o Marco durante o percurso que me convenceu a continuar com a inscrição e vir até aqui, esse lugar lindo.

Meus pais que nunca me apoiaram nessas corridas malucas decidiram vir junto, então parece que tudo tinha se encaixado. Eu estava bem, estava confiante, estava magra, correndo como eu nunca corri e então eu estava pronta para o que seria o maior dos meus desafios.

Larguei bastante nervosa, era uma multidão, pessoas do mundo inteiro, fui em um ritmo bom e eu via muitas luzes na frente mas também muitas para trás. Eu estava em um pace encaixado no meio da multidão. Como eu percebia, eu estava bem, de repente pelo km 20 eu comecei a sentir uma cólica forte, no início parecia algo menstrual. Eu fui levando, e aquilo piorava, no km 33 tentei ir ao banheiro mas não consegui. Encontrei o Orlando Yamanaka que também reclamou de alguns problemas, o clima estava severo, muito quente, ar seco, suávamos e nem percebíamos, quando notei eu estava encharcada. Mas ainda faltava muito para o dropbag e a troca de roupas.

Começou a amanhecer, eu já sentia tanta dor que correr parecia um sacrifício, iniciei um trekking rápido mas eu queria era correr, minhas pernas estavam prontas para aquilo, mas as cólicas eram como que algo ia estourar dentro de mim. Quando cheguei no caminho entre lago e Tre Cime, resolvi voltar até a ambulância. Minha ideia era só tapear a dor, mas o diagnóstico indicou desidratação.

Tinha vontade de urinar mas não havia nada para sair. O médico me avaliou por telefone, isso me chateou, me retiraram de uma prova por avaliação telefônica. Dali me enviaram até o hospital, onde mofei uma manhã inteira, tomei soro e paracetamol e ainda ganhei uma conta de hospital.

No fim, o prontuário médico dizia que eu estava muito bem, a médica ligou para organização que disse que foram imprudentes ao me retirar. Ok, devemos prezar pela segurança na dúvida. Muitas pessoas saíram da prova desidratadas, inclusive o 1º colocado,  Pau Capell, que iniciou processo de cegueira parecido com do Geison Ignácio, acredito que se tapeasse e continuasse mas para frente talvez eu fosse sofrer mais, ou não, é o risco.

Acabei indo de carro depois a Tre Cime e me desabei a chorar. Dali em diante comecei a me dar conta que talvez as coisas acontecem por um propósito. De eu estar ainda bem, não ter me quebrado para o próximo desafio.

Eu consegui passear conhecer muita gente. Conheci todos atletas elite, conversei com Fernanda Maciel, Sébastien Chaigneau, com Gediminas, com o próprio Pau. Consegui aproveitar tudo que tinha direito, foi uma viagem fantástica, infelizmente devo partir, mas o sentimento de dor é tão forte, eu não paro de chorar, é um sentimento de luto.

A Fernanda me contou por situações parecidas que ocorreram com ela, poxa acontece com todos! O próprio Pau abandonou a prova, somos humanos! Até os super atletas sentem dor.

O que diferencia é como você pode lidar com a experiência. No fim, o organizador me deu muitas coisas e inclusive inscrição para o próximo ano, se der tudo certo eu volto e resolvo essa pendência.

Gostaria de parabenizar a Sabrina Shirmer por ter concluído e também ao meu amigo italiano Marco que chegou ainda durante o dia. Queria agradecer o carinho de todos.

Agradecer a Cissa Ramos que me acompanhou no hospital. Todas boas energias, toda torcida. Experiência é o que se leva para a vida.

Eu estava extremamente angustiada por todos compromissos que tinha assumido, a prioridade era a CCC, mas encaixei a Lavaredo na fome, o resultado foi pessoas incríveis em momentos maravilhosos.

Fracos são os que não tentam outra vez, eu volto Lavaredo e o meu sonho de ter uma foto correndo na Tre Cime vai se concretizar!

Quero agradecer especialmente a Osprey Brasil e La Sportiva Brasil por toda confiança e apoio.